Recrutamento e seleção: 5 dicas para selecionar e motivar o colaborador

Tempo de leitura: 5 minutos

Mais do que importante, eu definiria até mesmo como crucial para uma organização é o processo de recrutamento e seleção. Esse não é um processo simples e que possa ser efetuado por qualquer pessoa.

São necessárias técnicas, conhecimento, experiências e habilidades específicas, visto que é a partir do processo de recrutamento e seleção que virá o capital humano que atuará na sua empresa.

recrutamento

No recrutamento e seleção de candidatos você deve se atentar para que pessoas certas sejam contratadas para a empresa certa, para o setor adequado e para o cargo correto.

Quando este circuito não se fechar corretamente, a empresa poderá ter sérios problemas com este candidato como desmotivação, pouco desenvolvimento, contaminação do clima e ambiente e incapacidade de gerar resultados.

Além disso, pessoas que não são engajadas podem atingir um nível tão grande de desmotivação que chegam a afetar sua própria saúde, seja ela física ou metal, e, em contrapartida, influenciar negativamente outras pessoas, criando um círculo vicioso que poderá atingir totalmente o clima de uma organização.

Durante o recrutamento e seleção, é comum encontrar respostas em entrevista de desligamento que a pessoa está se desligando da empresa porque não se adaptou à organização, à sua cultura e valores.

As justificativas dizem que a empresa não oferece crescimento ou que ela está atuando em uma função em que ela não gosta e que pretende “trabalhar na sua área”.

Se as pessoas se comportam dessa maneira, provavelmente não foi identificado no recrutamento e seleção o perfil ideal do candidato de acordo com o perfil da empresa e da vaga a ser contratada.

Saiba como identificar o perfil do candidato

1 – Primeiramente, não contrate uma pessoa para uma vaga somente porque ela está precisando de um emprego e no momento para ela “qualquer coisa serve”.

Isto poderá te custar um aumento de turnover, isso porque assim que essa pessoa encontrar outra vaga de acordo com seus desejos e anseios ela irá abandonar sua empresa e você terá que buscar outro profissional para esta vaga. O candidato deve ser escolhido para a vaga porque foi identificado um perfil adequado e não apenas porque ele precisa de um emprego e sua empresa de um funcionário.

2 – Experiência profissional na área não significa que a pessoa tem o perfil desejado.

O perfil envolve muito mais do que isto. Significa que a pessoa também deve ter conhecimentos desejados, habilidades e competências necessárias, características (como estilo, postura, atitudes, liderança, comunicação e capacidade de se relacionar) alinhadas com os valores, com a cultura e objetivos da sua organização.

3 – Existem perguntas que nunca podem faltar em um processo de recrutamento e seleção

Como por exemplo: Quais seus objetivos de vida e/ou profissional? Qual sua pretensão salarial ou qual era seu último salário? Pessoas com objetivos e pretensões muito distante da realidade da empresa e com desejo de crescimento muito além do que a empresa poderá fornecer também se desmotivarão logo, pois constantemente buscarão algo mais que a empresa não poderá oferecer.

4 – A função a ser desempenhada pelo candidato deverá ser muito bem descrita na entrevista, a rotina que ele terá, o que a empresa espera dele e inclusive atividades em que existe reclamações de ex-funcionários por executá-las.

Cada detalhe faz toda diferença no futuro. Evite as surpresas desnecessárias, pois quando ele for um funcionário e ver que a realidade é diferente daquilo que foi “vendido”, ele certamente irá buscar novas oportunidades no mercado de trabalho. Tenha sempre certeza de que ele entendeu detalhadamente e não tem dúvidas sobre isto.

5- Não prometa aquilo que não poderá cumprir.

Se prometer que o funcionário será treinado para a função, por exemplo, cumpra isto! E treinar não é entregar um manual para a pessoa ler. Treinar é oferecer material de leitura, ensinar, ser modelo e acompanhar o desenvolvimento da pessoa até que ela possa seguir sozinha.

Uma promessa não cumprida poderá até não ser cobrada, mas certamente ela será lembrada todos os dias pelo funcionário até que o mesmo encontre outro lugar ao qual irá oferecer o que a empresa não cumpriu.

A motivação é um fator subjetivo, intangível, complexo e inerente ao ser humano ao qual não encontramos ainda uma fórmula ou explicação científica para mantê-la viva ou para implantá-la no outro.

Por vezes, podemos seguir algumas dicas, conceitos e caminhos para melhor desempenhar e estimular um processo motivador ou até mesmo evitar que um sujeito venha a ser influenciado pela falta dela.

Como profissionais de Recursos Humanos, devemos sempre nos atentar que cada ferramenta utilizada tem um sentido, um valor e uma importância ao ser executada.

Portanto, temos que nos lembrar de que o recrutamento e seleção de pessoas é um processo sério, que demanda tempo, dedicação, conhecimento e que através do resultado deste processo as pessoas escolhidas poderão ser felizes (motivadas) ou não no local em que irão trabalhar.

blog_entrevista

FláviaFlávia Cibelle S.Flávia Baptista 

Graduada em Administração de Empresas pela faculdade FACECA-MG, pós-graduada em Gestão Estratégica de Pessoas pela UNIS-MG, está cursando psicologia na Faculdade UNIFENAS de Varginha-MG e pós-graduação em psicopedagogia institucional e clínica pela faculdade UCAM-SP. Mais de 10 anos de experiência em Gestão Organizacional e de Recursos Humanos.  Atualmente é Diretora Executiva da empresa NAERH – Núcleo de Apoio Empresarial em Recursos Humanos, empresa de consultoria em Gestão Estratégica de Pessoas. Atua também como professora de graduação e pós-graduação em disciplinas de Recursos Humanos e ministradora de cursos diversos na área administrativa e de R.H.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *